terça-feira, 30 de maio de 2017

a palavra intacta

Karen Hollingsworth

diante do verso libertado,
voluntariamente deslizando ________em caudal ,
desarrumado,
visceralmente inquieto.

observando________a noite a recolher-se
e a luz da manhã,
pálida. envergonhada a oscular
as sílabas, da palavra intacta
espicaçada.

defronte da janela,
largada à merce do pó,
da leveza da  brisa esporádica.

e da liberdade,
de não deixar perecer _____a palavra
intacta.

©Piedade Araújo Sol 2017-05-30

19 Comentários:

Blogger Luis Eme disse...

Nem querer ser outra, diferente...

abraço Piedade

terça-feira, 30 maio, 2017  
Blogger Cidália Ferreira disse...

Pois...Adorei!!

Beijinhos

terça-feira, 30 maio, 2017  
Blogger Agostinho disse...

Tinha escrito aqui e perdi, mais ou menos assim:

Entendi
o teu labor o teu amor
à palavra intacta
virginal mente ideal
Vi
o compor lento do verso
sobre a linha inexistente
da madrugada afeiteado
ao horizonte de liberdade
sem compromisso que não seja
soltar o poema à janela
quando a alvorada toca
as coisas todas de luz.

Apesar do amor que vejo?
tiradas furibundas
nos jornais cheios
de palavras moribundas

Bj. Gostei.

terça-feira, 30 maio, 2017  
Blogger Mar Arável disse...

Palavras inteiras
Bj

terça-feira, 30 maio, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

A palavra define-se, liberta-se, voa na brisa num redemoinho de sensações....
Que nunca fique coberta de pó....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

quarta-feira, 31 maio, 2017  
Blogger Eduardo Aleixo disse...

Palavra intacta pura como agua da Nascente
Brota sem tempo
Desde o alvorecer até ao sol
Poente!

quarta-feira, 31 maio, 2017  
Blogger Victor Barão disse...

Recém acabado de, por assim dizer, aqui pousar, desde logo com anos de atraso e após fazer uma breve excursão por este "olhares em tons de maresia" vou-me resumir a dizer com relação ao seu todo:

_ Fantástico!

quanto ao poema aqui imediatamente em causa, não tendo eu propriamente alma de poeta, em muitos aspectos bem pelo contrário, no entanto apesar disso ou até por isso gostei, porque até ao tender eu mais para o objectivismo, não raro gosto, melhor necessito mesmo deixar-me levar pela, se assim se pode dizer, abstracção poética

Obrigado e parabéns, por esta sua inspiradora obra

quarta-feira, 31 maio, 2017  
Blogger Majo Dutra disse...

Sublime!
Emociona de tanta perfeição e beleza,
na conjugação do poema e pintura ilustrativa.
A manhã clara, após uma noite de criatividade,
em que se pretendeu não perder o poema escrito, intacto.
Resultou especialmente agradável a oportuna metonímia.
Grande abraço, eximia e lúcida poetisa.
~~~~~~~~

quinta-feira, 01 junho, 2017  
Blogger Jaime Portela disse...

E como é importante manter e fazer uso da palavra intacta...
Excelente poema, gostei imenso.
Bom fim de semana, querida amiga Piedade.
Beijo.

sexta-feira, 02 junho, 2017  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Um belíssimo poema, amiga.
Um abraço e bom fim-de-semana

sexta-feira, 02 junho, 2017  
Blogger Meus Traços e Linhas disse...

Um poema magistral com a marca das suas digitais, profundo e belo. Gostei imenso!
Abraço!

sábado, 03 junho, 2017  
Blogger Franziska disse...

Ha sido un inmenso placer la lectura y los silencios de este poema, esa palabra virgen, no utilizada me llena de sorpresa, es ella, la palabra intacta.

Saludos muy afectuosos y cordiales. Franziska

Ah, se me olvidaba, el cuadro es una preciosidad.

sábado, 03 junho, 2017  
Blogger Tais Luso disse...

Teu poema está tão lindo, tão leve como essa pintura!
Um bonito casamento das obras de dois artistas!
Um beijo, querida Piedade, e um lindo domingo, bem inspirado...

sábado, 03 junho, 2017  
Blogger Rita Sperchi disse...

Bonito perfeito
Adorei bjuss querida
🌿Bom dia de domingo!!🦋🌿

domingo, 04 junho, 2017  
Blogger Vision By Mila disse...

Oh I'd love to sit on that chair right now!

segunda-feira, 05 junho, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

A palavra intacta. A vertigem à boca da poesia...
Tão belo, Piedade!
Uma boa semana.
Um beijo.

segunda-feira, 05 junho, 2017  
Blogger AC disse...

Intacta, pela vontade de tudo abraçar, permanece a alma da poetisa...

Um beijinho, Piedade :)

segunda-feira, 05 junho, 2017  
Blogger Pedro Luso disse...

Parabéns, Piedade, pelo belíssimo poema.Um poema moderno, com grande criatividade. Gostei muito.
Um abraço.
Pedro

terça-feira, 06 junho, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

Belíssimo, Piedade! A poesia é mesmo um instrumento de libertação das palavras... e sentires... enquanto a essência e a alma dos poetas, permanece intacta...
Mais um trabalho muito belo e profundo, que adorei ler!
Beijinhos
Ana

sábado, 01 julho, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial