terça-feira, 2 de maio de 2017

Momentos

Vincent Bourrilhon

Nesta alvorada branca
Isenta de sono e atordoada de insónia
Perco-me a olhar para uma folha branca
Onde receosamente
E para não acordar a manhã
Redijo
Palavras

Eu sei que sou eu que as escrevo
Mas ignoro o saber

E se este arrepio que me assola
É loucura
Desenharei apenas riscos
Traços únicos
Desaparelhados
Descoloridos
Aguarelas em tons esbatidos
Tintas a escoar vida
E amanhã
Espero que os decifres
Quando atirar ao mar
E nada restar, senão
A rebeldia duma folha perdida

©Piedade Araújo Sol 2017-05-02

19 Comentários:

Blogger Cidália Ferreira disse...

Que poema tão bonito!!

Adorei

Beijos

terça-feira, 02 maio, 2017  
Blogger Agostinho disse...

Li assim:
Nas brancas alvoradas
insonsas de sono
o torvelinho dos traços
em redundância árida
confunde-se na virgindade branca
duma folha por desbravar
"Para não acordar a manhã"

E limito-me a isto para não cortar a melodia frásica iluminada de Sol.

Bj.

terça-feira, 02 maio, 2017  
Blogger Os olhares da Gracinha! disse...

A insónia perturba e incomoda ao contrário da poesia que apazigua!!! Bj

terça-feira, 02 maio, 2017  
Blogger O Árabe disse...

Eu não a diria perdida, Piedade, mas repleta de sonhos e emoções, ocultos entre as palavras rabiscadas. Belo post, boa semana!

terça-feira, 02 maio, 2017  
Blogger Marta Vinhais disse...

Não, não é uma folha perdida, descolorida...
Diz tudo... fala desse momento de insônia que perturba a alma...
Lindo...
Obrigada pela visita, pela foto...
Beijos e abraços
Marta

terça-feira, 02 maio, 2017  
Blogger Luis Eme disse...

Decifraste de uma forma poética o que sente quem não consegue controlar as mãos, que gostam de escrever palavras...

abraço Piedade

quarta-feira, 03 maio, 2017  
Blogger Smareis disse...

Um poema primoroso, gostei bastante. A música é ótima. A imagem é bem curiosa.

Tem uma atualização!
Uma ótima semana!
Um ótimo mês
Um abraço, e um sorriso!
Blog da Smareis

quinta-feira, 04 maio, 2017  
Blogger Mãe Maria disse...

são maos teimosas, que não querem a quietude da noite. Gostei.

quinta-feira, 04 maio, 2017  
Blogger artista sem pena disse...

Pude visualizar o momento.
Gostei muito!

quinta-feira, 04 maio, 2017  
Blogger LuísM disse...

as insónias são terríveis.
deixar numa folha branca
os 'rabiscos' dos atropelados pensamentos e criar um poema
tão belo, é uma recompensa.
um beijo, Piedade

quinta-feira, 04 maio, 2017  
Blogger Majo Dutra disse...

Ao contrário dessas péssimas noites de insónia,
o poema saiu excelente em cumplicidade e lirismo!
Sensibilizou-me e agradou-me sobremodo.
Dias de Maio muito felizes, estimada Amiga.
Beijos.
~~~

sexta-feira, 05 maio, 2017  
Blogger Graça Pires disse...

Os riscos. Os traços. As aguarelas em tons esbatidos, serão pássaros a sobrevoar o mar e o coração da manhã...
Que beleza, Piedade!
Um beijo.

sábado, 06 maio, 2017  
Blogger manuela barroso disse...

Ah, mas se todas as insónias desbravassem inconscientes donde brotassem rabiscos assim, juro que a não amaldiçoaria! :)
Que lindo poema, Pi!
Beijinho meu! **

domingo, 07 maio, 2017  
Blogger Meus Traços e Linhas disse...

Da inquietude das mãos brotou uma poesia profunda e vibrante. Insônia é desconfortável, mas às vezes inspiradora.
Abraços e parabéns pelo post!

domingo, 07 maio, 2017  
Blogger Elvira Carvalho disse...

Se as minhas insónias, produzissem poemas, tão perfeitos eu quereria tê-las todos os dias.
Um abraço

domingo, 07 maio, 2017  
Blogger Sinval Santos da Silveira disse...

Amiga, Piedade Araujo Sol !
No dia seguinte, haverás de constatar na prancheta da tua alma, não riscos, mas as pegadas de profundos sentimentos que somente tu
poderás decifra-los...
Parabéns, querida.
Uma ótima semana, com o meu
carinho, aqui do Brasil !
Sinval.

segunda-feira, 08 maio, 2017  
Blogger AC disse...

Loucura, palavra que abarca conceitos mil...
Não receies os conceitos, Piedade, eles são apenas uma face reduzida das palavras. A elas, às palavras, dá-lhes lastro, como tão bem sabes fazer, com a constante preocupação da descoberta dum novo conceito. Assim deverá navegar a poesia.

Um beijinho :)

quinta-feira, 18 maio, 2017  
Blogger Ana Freire disse...

E às vezes, nestas alvoradas... é quando notamos a inspiração a chegar de mansinho...
E o que pensamos ser apenas riscos... no amanhã... podem revelar-se em palavras que entretanto descobriram o seu verdadeiro lugar e sentido...
Gostei destes momentos... na forma de palavras...
Beijinhos
Ana

segunda-feira, 22 maio, 2017  
Blogger Profª Lourdes disse...

Olá, boa tarde!
Gostei muito do seu blog e já estou seguindo. Com certeza voltarei mais vezes pois suas postagens são maravilhosas.
Convido você a conhecer os meus e se gostar seguir, ficarei grata. Abraços, um abençoado fim de semana.
Profª Lourdes Duarte
http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
professoralourdesduarte.blogspot.com.br

sexta-feira, 07 julho, 2017  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial